Criar meu cadastro  |  Efetuar Login  |  Perdi minha senha
Buscar Buscar
0 ITENS
Blog da PlayGround > Burn Através dos Formatos
Burn Através dos Formatos
Por: PlayGround em 15/01/18 17:15 | 0 comentários e 579 visitas Acompanhar blog

 

Continuo queimando tudo até o último ponto... de vida!

 

Fala pessoal, Robson Silveira aqui, e hoje vim tentar responder uma pergunta que me fazem com frequencia: "Robson, quero começar/voltar a jogar Magic e com o tempo ir migrando para outros formatos. Qual deck devo montar?"

Quem leu meus artigos anteriores, sabe que eu parto de dois pressupostos nos meus artigos: O primeiro deles é que você não tem milhares de reais à disposição para montar qualquer deck; o segundo deles é que você não tem uma coleção gigantesca, cheia de staples que pode trocar a qualquer momento. Todas as listas que apresento, assim como os passos que você deve seguir são baseados nesses pressupostos. Que existe ALGUM dinheiro para comprar cartas. Você pode também ter alguma coleção com cartas para troca, o que vai baratear o custo dos decks apresentados. Assim como pode ter algumas das cartas que são utilizadas. Os valores de referência são todos do site da Playground, assumindo um deck montado do zero.

Feitos os devidos esclarecimentos, a resposta que tenho dado ultimamente é: Monte um BURN. Pessoalmente, é um arquétipo que gosto muito, já que vermelho é a melhor cor do Magic (VERMELHO, quem fala que é azul, está errado.) É um deck que normalmente tem chances em todos os formatos, principalmente por capitalizar em cima de mulligans ruins do seu oponente, e como a lógica dele é a mesma em todos os formatos, não precisa reaprender a jogar, apenas fazer as devidas adaptações no deck e no mindset para o ambiente onde você joga. Principalmente no Legacy, os jogadores tendem a usar o mesmo deck sempre, então você sabe o que esperar em cada match.

Vamos começar com o que interessa: as listas!

 

FORMATO 1: PAUPER

Primeiro, venho trazer a lista do Burn Pauper, a versão que eu atualmente estou utilizando para jogar no Magic Online, tendo uma boa quantidade de vitórias com ele. O nome das cartas estarão em inglês, porque o meu costume é esse, uma vez que jogo basicamente no Magic Online.

4 Firebrand Archer

3 Thermo-Alchemist

4 Chain Lightning

4 Lava Spike

4 Lightning Bolt

4 Needle Drop

1 Shard Volley

2 Magma Jet

4 Searing Blaze

4 Rift Bolt

4 Fireblast

4 Curse of the Pierced Heart

3 Forgotten Cave

15 Montanhas

SIDEBOARD

2 Electrickery

4 Martyr of Ashes

2 Pyroblast

3 Smash to Smithereens

3 Molten Rain

No site da Playground o custo total do deck é de: 345 reais. Não é um preço alto por um deck que vai ficar com você enquanto quiser jogar Pauper, sendo sempre presente e relevante no formato. A depender do metagame, ele fica melhor ou pior, mas nunca é um baralho que deve ser ignorado.

Atualmente, um dos decks mais jogado do pauper é o Elves. Acho uma match meio chata, mas com 6 cartas de side, todas com potencial de limpar a mesa, fica bem melhor o jogo. O maior cuidado que tem de ter é com o Desejador do Bem, sendo capaz de ganhar quantidades absurdas de vida, podendo acabar com seu jogo em apenas uma ativação. A recomendação é de sempre matar o bicho instantaneamente, antes do oponente desvirar.

Uma match bem ruim é contra os BW Pestilência. Esses decks usam várias cartas de ganhar vida, em especial o Arashin Cleric e Aven Riftwatcher. O Cleric com a defesa 3 dele impede o seu Arqueiro de atacar, assim como o Aven, que ganha 4 de vida. A única maneira eficiente de lidar com eles é com as Searing Blaze, pois qualquer outra remoção deu ao oponente virtuais 6 ou 7 de vida.

Mas, salvo essas matches, no geral acho bem tranquilas as demais, principalmente se seu oponente mulligar ou ficar com uma mão arriscada.

O pesado do valor do deck pode ser resumido em 5 cartas: Chain Lightning, Lightning Bolt, Lava Spike, Rift Bolt e Fireblast.

Mas não se preocupe. Como foi dito, são cartas que vão jogar eternamente e ter utilidade em outros formatos.

 

FORMATO 2: MODERN

Você jogou, você ganhou, você deu mais de 9 mil de dano com seus burns, mas você quer mais! Novos oponentes e mais pontos de vida lhe aguardam no Modern, um dos formatos mais populares do Magic. É, junto do Standard, o formato construído utilizado para a maioria dos eventos grandes: PPTQs, RPTQs, GPs. O último GP que tivemos no Brasil, em Agosto de 2017 foi nesse formato, e ao que tudo indica, o GP que teremos em 2018 também será Modern.

A lista do Modern, infelizmente, é muito mais cara do que a Pauper. O formato tende a ter decks caros, então entrar nele requer um investimento grande. Porém, como é uma coisa gradual que você pretende fazer, o negócio é separar ali uma graninha todo mês para ir comprando as cartas aos poucos. A namorada vai reclamar um pouco, mas você substitui uma das saídas com ela por um jantar em casa, você cozinha, faz uma massagem nos pés, assiste um filme no Netflix, e ela nem vai reclamar do fato de ficar em casa.

Vamos a lista do deck. Por favor, não parem de ler o artigo ao se deparar com o valor final do deck.

4 Goblin Guide

1 Grim Lavamancer

4 Monastery Swiftspear

4 Eidolon of the Great Revel

4 Lava Spike

4 Lightning Bolt

4 Boros Charm

4 Lightning Helix

4 Searing Blaze

4 Skullcrack

4 Rift Bolt

2 Arid Mesa

4 Bloodstained Mire

4 Inspiring Vantage

2 Mountain

2 Sacred Foundry

1 Stomping Ground

4 Wooded Foothills

SIDEBOARD

3 Path to Exile

2 Deflecting Palm

4 Destructive Revelry

2 Kor Firewalker

2 Rest In Peace

2 Searing Blood

O valor total do deck, com esse sideboard, é de 2040 reais! Como eu disse, o valor seria muito mais alto do que o deck Pauper, devido a popularidade do formato. As cartas que você aproveita do seu Burn Pauper totalizam 200 reais, restando um investimento de 1840 reais a serem feitos.

O deck todo acaba sendo caro, pois cartas fundamentais são muito procuradas, como Goblin Guide, Eidolon. Outro ponto problemático do deck é a sua base de mana, composta basicamente por terrenos não-básicos. Uma coisa que sempre recomendo é que invistam em uma base de mana boa, pois as cartas tendem a valorizar com o tempo e é fundamental para qualquer deck. Embora IRL eu praticamente só jogue Pauper e Commander, uma coisa que sempre estou pegando são terrenos. No momento tenho 6 de praticamente todas as Shock Lands. O próximo projeto é comprar todas as Dual Lands, caso isso não seja financeiramente possível, juntar as 40 fetchs e as 40 "Check lands". Assim, qualquer formato que eu queira jogar, ao menos os meus decks terão os terrenos necessários. Outro ponto bom de investir em terrenos é que eles são muito fáceis de vender/trocar. A procura é sempre grande.

Modern eu basicamente jogo de Storm, então minha análise do metagame pro Burn não é tão boa. Vou me limitar a 3 decks.

A match contra storm é boa, mas piora de acordo com a qualidade do oponente. Se o cara souber jogar bem com o deck, a sua vitória vai ficando mais complicada. No geral, seu clock é mais rápido do que o dele, ainda mais que ele precisa tomar dano de Shock e Fetchs. Mas é bem improvável que você ganhe o jogo se ele chegar ao turno 4 com um Baral ou Goblin Electromancer na mesa. Quando pego Burn jogando de Storm fico igual ao meme da Nazaré Tedesco, fazendo um bilhão de contas e pensando em todos os possíveis burns que vão voar em minha cara.

A match contra Tron também tende a ser muito boa, apesar da Collective Brutality. O importante é você ter uma mão rápida, na qual o Wurmcoil Engine não seja o suficiente para segurar o jogo com o lifelink.

A terceira match que acho favorável pro Burn é Death’s shadow. O plano de jogo dele é LITERALMENTE o melhor para o seu deck. Ele perde vida com descartes, lands, reciclando criaturas, tudo para colocar uma Death’s shadow gigante na mesa e te matar em um ou dois ataques. Parece um sonho. Mas não é. Como eu disse, é favorável, mas é longe de ser o passeio que as pessoas pensam. Se você for pra cima muito rápido, ele pode controlar a perda de vida para ficar fora do alcance das suas mágicas e ainda assim fazer uma DS gigantesca. Se você se segurar demais, ele tem tempo para ir limpando sua mão com descartes e jogar um Tasigur, que pode finalizar o jogo muito facilmente. Essa é uma partida que você precisa saber a dose certa e como jogar. Tente jogar o jogo de forma a complementar a perda de vida dele. Ir tentando minar a vida com as criaturas, para na primeira abertura disparar os burns na cara dele no fim do turno e depois no seu. Com treino você pega o jeito da match e vai entender como aumentar a pequena vantagem que tem.

 

FORMATO 3: LEGACY

Finalmente, vamos para o último formato que vamos analisar aqui. Não vou falar do Vintage, já que isso é pouco jogado no Brasil, e eu não tenho a menor idéia do formato. No Legacy também não sei muito não, praticamente não jogo, mas sei que o Burn está presente. Não sei o quanto é um deck bom, mas sei que a premissa ainda vale: punir os oponentes pelas suas mãos ruins. Aqui tem um bônus: punir os oponentes pelas suas base de mana caras! 282 + 15

4 Goblin Guide

3 Grim Lavamancer

4 Monastery Swiftspear

4 Chain Lightning

4 Lava Spike

4 Lightning Bolt

4 Rift Bolt

4 Fireblast

4 Price of Progress

3 Exquisite Firecraft

2 Pyrostatic Pillar

2 Sulfuric Vortex

2 Barbarian Ring

16 Mountain

SIDEBOARD

4 Faerie Macabre

1 Tormod's Crypt

2 Pyroblast

1 Searing Blood

3 Smash to Smithereens

1 Exquisite Firecraft

1 Scab-Clan Berserker

2 Volcanic Fallout

O preço total do deck é de 720 reais! Muito mais barato do que a versão modern. Isso se dá pela ausência dos Eidolons e da base de mana. Em compensação, os Goblin Guide, Lavamancer e Swiftspear estão presentes. Considerando as suas cartas do Burn Pauper, você vai gastar 297 reais a menos! Eu lhe avisei que as cartas caras do deck teriam uso em outros formatos. Restaria então um investimento de 423 reais a mais para ser feito e você adentrar outro formato.

Se na sua cidade o cenário Legacy for forte, o passo ideal é partir do Pauper pro Legacy, deixando o Modern para um momento futuro. Se, infelizmente não tiver torneios Legacy aonde você mora, talvez o jeito seja pular direto para o Modern, mesmo que seja preciso gastar mais e demorar mais para juntar as cartas.

Como eu disse, não entento do formato o suficiente para dizer a respeito da qualidade do deck no metagame, mas não me parece ruim ter uma carta que dá 6-8 de dano por 2 mana, que é o Price of Progress.

 

Bom, vou ficando por aqui, espero que vocês tenham gostado. Críticas, observações, sugestões de assunto, é só deixar um comentário.

Divirtam-se e boa sorte nos jogos! 


Leia também (Ver mais..)
Report Semanal do Puffete 0 comentários / 75 visitas
Report Semanal do Puffete 0 comentários / 164 visitas
Report Semanal do Puffete 0 comentários / 301 visitas
Report Semanal do Puffete 1 comentários / 434 visitas
Report Semanal do Puffete 0 comentários / 362 visitas

Favoritos (Ver mais..)
Report PPTQs PlayGround Por: PlayGround - 0 comentários / 1,481 visitas

Comentários 0-0 de 0
Sem comentários.